Lançadores de bomba dos EUA sobrevoaram fronteira norte-coreana

News3

Aeronaves lançadoras de bombas dos Estados Unidos sobrevoaram o espaço aéreo próximo à fronteira da Coreia do Norte na segunda-feira, após o último lançamento-teste de mísseis realizado por Pyongyang. O exercício militar foi uma ação conjunta do exército americano e das forças da Coreia do Sul.

O governo norte-coreano classificou o exercício como uma “grave provocação militar” e acusou Washington de querer “desencadear uma guerra nuclear”. Segundo a agência estatal de Pyongyang KCNA, as aeronaves U.S. B-1B chegaram a se aproximar cerca de 80 quilômetros da cidade sul-coreana de Gangneung, perto da fronteira com a Coreia do Norte.

Uma fonte do governo sul-coreano confirmou para a agência local Yonhap que as duas aeronaves sobrevoaram a área mencionada, acompanhadas por caças F-15K em torno das 10h30 do horário local nesta terça-feira (22h de segunda em Brasília).

 “Tais provocações militares dos imperialistas americanos são um chilique irresponsável que colocou a península coreana à beira da guerra”, denunciou a nota da KCNA, que também acusa Washington de querer eliminar o regime de Kim Jong-un com armas nucleares e chama de hipócrita as suas ofertas de diálogo. O texto conclui advertindo que uma guerra atômica na península “desencadearia um desastre que transformaria o território continental dos Estados Unidos em terra arrasada”.

A ação dos EUA foi uma resposta ao novo teste balístico realizado por Pyongyang nona segunda-feira, o décimo segundo neste ano e o terceiro em apenas três semanas. As insistentes ações militares da Coreia do Norte causaram um aumento da tensão na região e uma escalada verbal com o governo do presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, que chegou a insinuar que estuda possíveis ataques preventivos.

Compartilhe:

Deixe seu comentário